Coronavírus e a mudança no comportamento de compra

coronavírus

Estamos em uma situação crítica, e todo o mercado sofreu por conta do Coronavírus (Covid-19). Este é o momento de agregar valor, para que o cliente não tenha só um produto, mas sim uma boa experiência de compra.

Com as mudanças que estamos tendo, nesse artigo falaremos mais sobre o caminho que o e-commerce tem tomado nesse tempo de pandemia.

Coronavírus e o e-commerce

Em 2019 as vendas online ocupavam somente 5% do total. Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABCOmm), o número de vendas cresceu 40% na primeira quinzena do mês de março, comparado ao mesmo período do ano de 2019 e ainda temos como crescer muito mais nesse segmento online.

Precisamos evitar aglomeração, a forma como o consumidor comprava está mudando radicalmente, ele está procurando comprar mais pela Internet e os lojistas precisam estar preparados, diante disso, a melhor forma de sair na frente sem dúvidas é o e-commerce.

Com toda a tecnologia, a taxa de conversão média do e-commerce subiu 36% no período entre janeiro e março de 2020. Isso mostra uma certeza maior e uma mudança no comportamento das compras nesses tempos de Coronavírus. A oportunidade de explorar produtos com o máximo de descrição é fundamental em meio à crise.

Podemos ver abaixo como é a variação de consumo, separada por categorias do varejo.

Nesses dados podemos entender alguns movimentos que surgiram em reflexo ao coronavírus:

Calçados

O consumo diminuiu por serem produtos que utilizamos em lugares público, que possuem aglomeração e também por serem itens de consumo durável.

Farmácia

De fato, já era esperado o aumento, por serem produtos necessários. Neste caso, o e-commerce é a forma mais fácil de adquirir medicamentos e afins, com os meios de entrega próprios e rápidos da empresa.

Ferramentas e utensílios

Este aumento no mês de março é um comportamento relacionado a prática de hobbies, como pequenas reformas devido ao tempo de isolamento social necessário.

Móveis e eletrodomésticos

Nesta categoria há uma queda, pois as transportadoras estão restringindo sua atuação e esses produtos possuem possuem peso e dimensões limitadas para envio pelos correios.

Roupas e acessórios

O aumento nos números desta categoria é decorrente da versatilidade dos produtos, que podem ser entregues em embalagens de tamanhos reduzidos. Neste caso, foram utilizadas estratégias como promoções em e-commerces e frete grátis.

Logística no e-commerce

Como a suspensão temporária de algumas áreas de atuação os prazos de entrega foram afetados. Devido a isso são utilizados argumentos como frete grátis no e-commerce para incentivar a venda dos produtos que estavam em estoque e gerar recebíveis para as próximas semanas.

Essa situação gerou um aumento de prazo das transportadoras, mas o mercado já sabia de todo esse cenário e criou regras de frete, com aumento médio do prazo de 3(três) dias.

Como fazer nossa parte nessa crise do coronavírus

Mais do que só vender, é preciso que o cliente tenha uma boa experiência de compra. Na logística é aonde acontece a maior parte desse processo, onde os produtos são entregues.

Nesse tempo de crise, precisamos fornecer soluções uteis, sem oportunismo, que é o essencial para manter-se no mercado e aguentar esse momento de crise que estamos vivenciando.

 

Fonte: E-commerce Brasil 

Conheça nosso modelos de e-commerce em nosso portfólio

Deixe um comentário